Delegacia Territorial de Teixeira de Freitas desbarata quadrilha de roubo e furto a gado que agia na região


Segundo as investigações o caso de Vereda ocorreu na madrugada do dia 31 de janeiro de 2018, na Fazenda Santana II, que fica nas proximidades do Povoado de Santo Antônio/Teixeira de Freitas, mas localizada na zona rural do Município de Vereda, onde os envolvidos, utilizando mais de um caminhão, romperam as correntes e os cadeados das porteiras e subtraíram cerca de 52 cabeças de gado tipo NELORE, causando um prejuízo estimado de R$ 120.000,00 (cento e vinte mil reais).

8 de Fevereiro de 2018 08:20Comentários desativados em Delegacia Territorial de Teixeira de Freitas desbarata quadrilha de roubo e furto a gado que agia na região

Numa operação policial que envolveu as delegacias territoriais de Vereda, Caravelas e comandada pela Delegacia Territorial da Polícia Civil de Teixeira de Freitas/BA, foi possível desmontar nas últimas horas uma quadrilha especializada roubo e furto de gado, atuante na região.

Na ação foram presos e ainda continuam sendo investigados: Caique Ribeiro Moura; Elnia Alcântara Ribeiro Moura; Valdi Alves Moura; Neyslon Nascimento Pereira; Oseni Rodrigues de Sousa; Sandro Rodrigues de Souza, Mário Lúcio Marques dos Santos, O “Gordo” e Ruberlândio Silva Santos, o “Queco”.

A ação policial apurou que a quadrilha furtou dezenas de cabeça de gado das fazendas Dois Irmãos em Caravelas e Fazenda Santana II localizada no Município de Vereda.

Segundo as investigações o caso de Vereda ocorreu na madrugada do dia 31 de janeiro de 2018, na Fazenda Santana II, que fica nas proximidades do Povoado de Santo Antônio/Teixeira de Freitas, mas localizada na zona rural do Município de Vereda, onde os envolvidos, utilizando mais de um caminhão, romperam as correntes e os cadeados das porteiras e subtraíram cerca de 52 cabeças de gado tipo NELORE, causando um prejuízo estimado de R$ 120.000,00 (cento e vinte mil reais).

A Polícia Civil já investigava a ocorrência de outro crime da mesma natureza, ocorrido na madrugada do dia 6 de janeiro de 2018, na Fazenda Dois Irmãos, em Caravelas/BA, onde os envolvidos, agindo da mesma forma, subtraíram 55 cabeças de gado tipo NELORE, causando o prejuízo estimado de R$ 100.000,00 (cem mil reais).

Durante as investigações, os policiais civis tiveram acesso a filmagem que registrou o momento em que os veículos dos envolvidos transportavam o gado furtado sendo eles: um caminhão marca Ford Cargo de cor branca, placas OYD-2699 e o caminhão, marca Volkswagen, de cor branca, placas HFD-4954, que foram apreendidos, sendo visualizado também a presença de um terceiro veículo pequeno, de cor branca, ainda não identificado, que passavam pelo local escoltando os caminhões durante a prática da ação criminosa.

Os bandidos utilizaram também, durante o furto na Fazenda Dois Irmãos, em Caravelas, um caminhão, Mercedes Benz 16/20, de cor vermelha, placas JQM-2682.

As investigações prosseguiram quando os policiais encontraram o Sítio Nova Canaã, situado no Assentamento Rosinha do Prado, localizado entre os Municípios de Alcobaça e Prado/BA, de propriedade dos criminosos, onde foi encontrado 32 cabeças de gado tipo NELORE, sendo 23 da Fazenda Dois Irmãos, de Caravelas/BA, e nove cabeças de gado tipo NELORE, da Fazenda Santana II, de Vereda/BA, oportunidade em que os animais foram apreendidos e restituídos às vítimas.

Gado era vendido no Frisa de Teixeira de Freitas

A polícia descobriu que o grupo criminoso comercializou o gado furtado com a Empresa Frisa (matadouro localizado em Teixeira de Freitas) e que, em cinco meses, o grupo recebeu a quantia aproximada de R$ 282.000,00, o que comprovou as suspeitas da polícia, sobre a origem ilícita do gado, pois o Sítio Nova Canaã, onde os furtos “eram esquentados/encobertos”, pertencente aos bandidos NÃO COMPORTA O VOLUME DE GADO COMERCIALIZADO em tão curto espaço de tempo. Além disso, há indícios de que os envolvidos com o crime estavam enriquecendo ilicitamente, posto que, neste período, compraram caminhões, caminhonetes e outros bens e valores que se mostra, ainda, necessário investigar.

Bloqueio de pagamentos

Visando garantir a reparação dos prejuízos às vítimas, o Delegado de Polícia Civil dr. Manoel Eduardo Andreetta, arrecadou na Empresa FRISA o valor aproximado de R$ 82.000,00, bloqueando o pagamento de duas notas promissórias que seriam pagas aos criminosos, ajuizando posteriormente a medida cautelar de SEQUESTRO dos valores, perante a Justiça de Vereda/BA., com o objetivo de retificar o ato, com o fim de garantir os interesses das vítimas. Foi representado pela prisão preventiva dos envolvidos, encontrando-se o procedimento investigatório em fase saneamento e conclusão. Fonte: DPC ANDREETTA e editado por Jornal Alerta.

Fonte Alerta

Os comentários estão fechados

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.