Representação de Jhonatam da Molar ao MP gera especulações no meio político




13 de junho de 2017 07:47Comentários desativados em Representação de Jhonatam da Molar ao MP gera especulações no meio político

Denúncia ou denuncismo? Analistas políticos divergem sobre a natureza da representação feita ao MP (Ministério Público) pelo vereador Jhonatan da Molar que desconsiderou a Comissão de Saúde da Câmara Municipal composta pelos Vereadores Valcí Vieira, Adriano Souza e José Mendes Almeida da Cruz  e  se adiantou para denunciar o que, segundo ele, foram várias irregularidades encontradas nos diversos setores da Saúde Pública.

O motivo da divergência gira em torno do fato de que, apesar da saúde estar em estado crítico, os avanços na área estão acontecendo rapidamente, principalmente, se levado em consideração o grau de complexidade dos trâmites; os valores dos equipamentos e a manutenção dos mesmos e principalmente a forma como o atual governo a encontrou. Se por um lado o Governo Federal proporcionou ao município excelentes estruturas e novos postos de Saúde, por outro lado o gestor anterior deixou, após a derrota nas eleições, a saúde em situação de abandono gerando filas quilométricas na regulação, saldo de meses sem marcação e sem profissionais, além de equipamentos sucateados..

A Comissão de Saúde da câmara, por exemplo, concluiu que, apesar das limitações,o poder executivo, tem enfrentado, de forma contínua e consistente, os problemas,  a exemplo da compra de novos equipamentos; manutenção dos que estavam sucateados; construção de novos leitos para o Hospital Municipal de Teixeira de Freitas (HMTF); construção de três novos centros cirúrgicos; reforma da UNACON, compra de novo aparelho para Hemodinâmica; construção de uma nova cozinha para o HMTF (visando minimizar riscos de infecção hospitalar); contratação de 22 novos médicos e mais 15 dentistas; pleito de mais um especialista para a UPA, entre outros.

A comissão de Saúde entendeu que é moral – por estes méritos – reservar um tempo para que os problemas ainda persistentes possam ser também enfrentados. Diante dos avanços e a disposição da prefeitura em estar, não só buscando alternativas, mas atuando realmente de forma proativa diante do desafio de colocar a saúde “nos trilhos”, é possível avaliar que outros problemas no setor, serão encarados com a mesma seriedade.

Ao se adiantar, Molar sugere que, ao contrário do que a comissão concluiu, a prefeitura e a Secretaria em questão estão sendo omissas. É exatamente este o ponto que transforma as possíveis boas intenções do vereador em motivo de questionamentos, pois, ao não reconhecer o esforço dos membros da comissão e não ponderar sobre os visíveis avanços na área, fere a lógica dos formadores de opinião racionais e imparciais levando-os a acreditar ou que a denuncia foi feita de forma impensada ou emocional. Não há quem acredite, no entanto, que a fragilidade emocional daqueles que sofrem com alguma enfermidade está sendo usada como palanque para fins eleitorais.

É de domínio público que, entre outras coisas, a prefeitura, juntamente com a Secretaria de Saúde precisam solucionar problemas relacionados a compra e manutenção de mais equipamentos; a integração do poder executivo com os profissionais de saúde; gestão de produtos e distribuição de medicamentos; comunicação interna das unidades de saúde/hospitalares e, principalmente, humanização no trato com os usuários do SUS.

Um dos problemas mais prejudiciais ao bom andamento da saúde do município, pois influência em como o cidadão enxerga o Poder Executivo, é exatamente a forma como os pacientes são tratados pelos profissionais e principalmente pelos médicos. Por onde nossa equipe passou vimos os estragos que alguns profissionais, quando incapazes de se sensibilizar com a dor e o medo de quem está fragilizado pela doença, podem causar à imagem de todo o sistema de saúde e provocar denúncias e insatisfação.

Fiscalizar Extremo Sul/por Katia Armini

Tags:
Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.