Saiba se sua instituição de ensino superior é credenciada pelo MEC

Escolher uma instituição de ensino superior apenas pelo preço ou pelo curso pode causar sérios problemas futuros. Casos de faculdades em situações irregulares ou criminosas podem acabar com o sonho de um estudante, deixando-o até sem o diploma de graduação ou pós-graduação. Para evitar que isso ocorra, antes de iniciar um curso, é imprescindível verificar se a unidade obedece os critérios de funcionamento exigidos pelo Ministério da Educação (MEC).

Credenciamento

Por lei, as faculdades, universidades e os centros universitários devem ser credenciados pelo MEC. Instituições que não possuem a permissão não podem oferecer nenhum tipo de curso superior, de graduação ou pós-graduação lato sensu, muito menos um diploma. Caso o estudante ingresse em uma sem essa regularidade, não conseguirá obter o certificado ou receberá um que não seja válido. A conferência é fácil e pode ser feita por qualquer pessoa no sistema e-MEC. Basta ter os dados da instituição.

Mesmo as que são corretamente cadastradas passam por recredenciamento periódico. Faculdades e centros universitários passam pelo processo de revisão geralmente a cada três ou cinco anos. Já no caso de universidades, a avaliação é repetida entre cinco e dez anos. Por isso, mesmo que uma instituição já funcione há muitos anos, é preciso ficar atento e verificar como anda sua situação junto ao MEC.

Exceção

Ao contrário das faculdades, universidades e centros universitários credenciados não necessitam de autorização prévia do MEC para abrir cursos superiores em seu município sede. Mas é necessário informar o órgão no prazo de 60 dias, para que o curso seja supervisionado, avaliado e reconhecido. A exceção é a abertura dos cursos de Medicina, Odontologia, Psicologia, Enfermagem e Direito. Nesses casos, a Secretaria de Educação Superior do ministério solicita primeiro a manifestação do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil e do Conselho Nacional de Saúde.

Cursos presenciais ou a distância

No caso do ensino presencial, é necessário que o aluno compareça em, pelo menos, 75% das aulas e em todas as avaliações. Já no ensino a distância, todo o curso deve ocorrer com o auxílio de material impresso, meios como internet e televisão, e avaliações periódicas.

Cursos livres

As instituições de ensino superior não credenciadas até podem ofertar cursos livres, emitindo apenas o certificado de participação. Nesse caso, está vedada a emissão de diplomas, impossibilitando o aproveitamento em cursos superiores.

Compra de diploma

Quem adquire diploma de maneira ilegal, por meio da compra do documento, sem ter feito o curso, pode responder criminalmente. De acordo com o Código Penal, quem falsificar ou adulterar documento público, todo ou em parte, pode ser condenado a prisão por dois a seis anos e ao pagamento de multa. Quem usa o documento também é punido. O estudante pode fazer uma denúncia por meio do Fale Conosco do portal do MEC ou pelo número 0800-616161. Além disso, o Procon local ou o Ministério Público Federal podem ser acionados.

Fonte: MEC e INEP

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.